Tática e postura: Os 10 conselhos de Andy Murray

No ATP 500 de Roterdã  2015, o britânico Andy Murray revelou os 10 principais lembretes  para enfrentar o francês Gilles Simon pelas quartas de final do torneio. São notificações simples e precisas de tática para ajudar a guiar o desempenho e que certamente podem contribuir para o próximo confronto do clube e os treinamentos de modo geral.

Vamos aproveitar as dicas de um Top Five !

1 – Postura – seja bom para você mesmo

B-CQMwuCUAATrwJ

Tática – Murray lembrando dos 10 conselhos durante o jogo .

 

Estabelecer uma atitude mental positiva, silenciando pensamentos e atitudes que sejam punitivos sobre a sua performance. “Não é bom jogar contra o próprio patrimônio”

 

2 – Postura – tente o seu melhor

Não é possível controlar todas as variáveis de uma partida de tênis, mas tudo que depende unicamente do jogador deve ser mobilizado para um melhor rendimento.

 

3 –  Postura – ser intenso com suas pernas

O espanhol Jofre Porta que foi o treinador do jogador Rafael Nadal nas etapas de formação diz “O tênis é um jogo de pés que se joga com uma raquete”. Uma movimentação eficiente permite golpear de maneira mais assertiva e obter uma cobertura mais rápida do espaço de jogo, portanto imprescindível!

 

4 – Postura – Ser pró-ativo durante os pontos

Uma postura pró-ativa, diz respeito a uma atitude dinâmica que valorize iniciativas ao invés de aguardar o erro do adversário,não se deve depender da sorte para obter algum resultado. (ler tópico 6)

25c3e8d500000578-2956950-image-a-12_1424181522388

Tática e postura – as dicas do Andy Murray

 

5 –  Postura – foco em cada ponto e no processo

Estar concentrado a cada momento e saber que a qualidade do jogo depende das condutas que estão sendo executadas. Não é necessário vencer todos os pontos para vencer uma partida de tênis (isso seria imediatismo e ansiedade). Pensar no processo é olhar com os óculos do rendimento não apenas o resultado (objetivos de aprendizagem e transferência do treinamento para o jogo). Exemplo: Manter 70% do 1º saque dentro da quadra, ser frio nos momentos de dificuldade, controlar o rally esperando a melhor oportunidade para atacar.

 

6 – Tática – tentar ser aquele que dita

Os jogadores que ditam o ponto imprimem seu próprio ritmo na partida, assumem riscos controlados fazendo com que o adversário fique limitado com as suas opções táticas. Exemplo Jogar com o 1ºsaque, desequilibrar o adversário, manter as bolas profundas, atacar as bolas curtas.(ler tópicos 4,7 e 9)

 

7 – Tática – tentar manter o adversário atrás da linha de base, fazendo com que ele se movimente.

Este é um conceito tático fundamental para exercer domínio sobre o adversário, fazendo-o executar jogadas em desequilíbrio e em uma zona desfavorável de jogo que restringe a atuação do oponente.

 

8 – Tática – Continuar mantendo seu saque

O momento mais importante do jogo merece um tópico especial, manter o saque depende da qualidade da execução e compreensão a respeito do que gera desconforto no adversário, pode ser um golpe em especial, ou algum tipo de feito que atrapalhe a devolução, também é possível vencer de maneira indireta quando a devolução não tem qualidade e o oponente fica vulnerável expondo os espaços da quadra.

 

9 – Tática – ficar próximo da linha de base o máximo possível

Uma vez que seja possível entrar ou ficar mais próximo da linha de base aumentam-se as chances de domínio do ponto, pois permite que rebater a bola na subida e  diminuir o espaço para atingir a quadra do adversário, encurtando o tempo de resposta do oponente.

“É mais fácil marcar um gol dentro da área do que fora”

 

10 –  Técnica – manter-se mais baixo nas passadas e usar suas pernas.

Uma postura mais atlética, permite que o jogador otimize a produção de força a partir das pernas como uma melhor alavanca além de não comprometer o equilíbrio, que é um conceito fundamental em jogadas sob pressão de tempo como é o caso das passadas.

Deixe o seu comentário abaixo !