Como atingir o estado ideal de rendimento ?

“A Felicidade consiste em cortar lenha e carregar água”
(Provérbio budista)

 

Jogar na zona ótima de performance, sensação de fluidez, estado de jogo, todas essas aberturas dizem respeito à tentativa de exprimir a forma como os jogadores se sentem quando estão nas suas melhores atuações. O estado ideal de rendimento é uma circunstância em que os jogadores atingem um alto grau de sinergia entre corpo e mente, as ações parecem advir do inconsciente os jogadores estão verdadeiramente imersos pela experiência vivem o aqui e agora deixando as distrações e os pensamentos de julgamento silenciados, torna-se um misto de concentração e relaxamento, como se fosse uma epifania!

1- Organização – estado ideal de rendimento.

Para poder estar 100% focado no momento, absorvido totalmente pela experiência e transcendendo os desempenhos medianos é necessário ter a mente livre de distrações que poderão interferir no estado de fluxo, embora seja impossível controlar todas as variáveis existentes para atingir o estado ideal de performance é importante construir uma DISCIPLINA relativa as medidas que devem ser tomadas antes de entrar na quadra. Para mais detalhes!

  • Chegar no treinamento ou partida com antecedência,
  • Realizar um bom aquecimento físico e técnico,
  • Ter todo o material preparado,
  • Respiração e Visualização das situações de jogo.

estado-de-rendimento-jpg

2 – Treinamento – estado ideal de rendimento. 

Um dos maiores Guerreiros Samurais da história Myamoto Musachi, dizia que “só é possível combater da mesma maneira que se treina”, visto por essa lógica um jogador desconcentrado no treinamento também vai ser um jogador relapso no jogo.

Uma ideia intrinsecamente priorizada e bastante interessante pelos melhores jogadores do mundo é a de que Jogo é treino e treino é jogo, ambas as esferas se confundem o nível de entrega, dedicação, esforço, sacrifício e concentração são muito parecidos e somente dessa maneira é possível haver uma ponte que estabeleça essa conexão de harmonização entre o corpo e mente.

À medida que o jogador torna-se cada vez mais maduro ele deve aprender que não existe treino monótono e que o importante é como ele encara a situação que se apresenta exatamente da maneira como ela aparece, essa espécie de limiar ou rito de passagem para um estágio de jogo mais competente nem sempre é conquistado, pois o jogador não aprendeu a encontrar a alegria na dor:

  • Nunca diga ou pense, esse adversário bate esquisito (jogue contra a bola do adversário, não existe situação ideal na emergência do jogo apenas favoráveis e desfavoráveis).
  • Pare de ditar o seu gosto por determinadas situações de treinamento, acostume-se a encarar o que vier do outro lado.
  • Trabalhe para se tornar um exemplo, observe os melhores atletas do mundo e as suas biografias, a jornada são sempre muito similares eles amam competir e treinar, pois é o que os faz mais felizes.

Mais informações neste artigo.

3 – Linguagem corporal – estado ideal de rendimento.

         O filósofo Maurice Merleu ponty dizia “Nós não temos um corpo, nós somos um corpo”, nossas expressões corporais atuam diretamente no nosso estado emocional, se o corpo fala, devemos aprender a utilizar o vocabulário correto que irá ajudar a estabelecer o fluxo para o estado ideal de rendimento.

Uma das maneiras de estabelecer as rotinas necessárias para jogar bem é durante o descanso ativo, no caso do tênis é o momento de pausa entre os pontos, onde a intensidade é diminuída e o jogador deve aprender a relaxar e refocalizar para o próximo ponto.

Existem maneiras muito especificas e essas vão variar de jogador para jogador a respeito da preferência na adoção de alguns hábitos, mas aqui vai uma sugestão que pode ajudar.

No mais penso que é importante lembrar-se de Heráclito que disse que “Não é possível entrar no mesmo rio duas vezes”, ou seja as situações sempre mudam, nós também mudamos constantemente o que importa é ampliar a nossa capacidade de percepção dos eventos para poder aceitar a impermanência dos fatos restando a vigilância constante da preparação, para aí então poder desfrutar da liberdade de não ter que deliberar ininterruptamente sobre o desempenho, deixando fazer fluir o estado de jogo!

Deixe o seu comentário abaixo !