Cinco segredos para ter sucesso no mini-tênis

O nível dos tenistas de alto-rendimento não para de surpreender pela qualidade de jogo apresentado. 80% dos tenistas começaram entre 3 e 5 anos de idade (apenas o Federer e Wawrinka começaram mais tarde). O mini-tênis não é a garantia desse sucesso, mas ele pode ser determinante quando essa etapa é bem ou mal realizada na continuação da formação do jovem tenista.

Um professor bem capacitado para atender as crianças de 4 a 6 anos se torna fundamental; Ele será provavelmente a razão para a criança parar de jogar ou ser um acelerador na formação dos jovens tenistas.

Aqui vem 5 segredos para ter sucesso no mini-tênis:

 

Capacitação "clube mini-tênis" (Campinas, maio 2017)

  • Métodos da Federação Francesa de Tênis para o mini-tênis.
  • 50h para entender os desafios didáticos com as crianças de 4 a 6 anos.
  • 2 módulos específicos e progressivos para ministrar com sucesso suas aulas de mini-tênis.

 

 

Sucesso no mini-tênis

1 – 1. O “professor – tio”.

A pedagogia da relação no mini-tênis será sempre a razão principal pela qual a criança vai gostar ou não da atividade. Isso requer para o professor cuidar bem desse aspecto pois além de ser legal com os alunos (o lado “tio”), ele deveria ser competente na utilização dos parâmetros que vamos apresentar abaixo.

2 –  O material “brinquedo – parquinho” do mini-tênis.

A pedagogia do jogo será possibilitada através de uma utilização do material adequado. Ao invés de entrar numa quadra de tênis, as crianças chegarão num espaço parecido a um parquinho de brinquedo e de desafios motores e de histórias que vão encantar. Ao invés de ter uma atividade difícil tecnicamente e de tamanho desadequado, a criança encontrará um universo no qual ele vai poder se expressar. As cores, os volumes, as bolas de vários tamanhos farão a diferencia na conquista das crianças.



3 – A comunicação visual e maravilhosa.

Um “professor-tio” com um “material de brinquedos” poderá se tornar um contador de histórias nas quais as crianças vão arrepiar e se envolver. A empolgação dos alunos irá aparecer com as histórias maravilhosas que o professor será capaz de criar para enfeitar as atividades motoras e tenísticas que as crianças vão fazer.

4 – O respeito pelo ritmo da criança.

No mini-tênis, o ditado de ouro é “a criança primeiro, depois o aluno”. Isso para ajustar o ritmo da aula à capacidade de atenção da criança. Sabemos que as atividades deverão ser de duração curta, pois a criança vai precisar logo de novos desafios. Assim uma organização em várias estações com duração controlada será um dos aspectos a respeitar.

5 – O programa de desenvolvimento do mini-tênis(ta).

O grande defeito dos pedagogos do mini-tênis é não conhecer as prioridades de formação. Que seja a respeito do tênis em si ou a respeito do desenvolvimento das capacidades motoras e perceptivas especificas, muitos pensam que apenas as brincadeiras importam. Funcionar sem um programa norteado (pedagogia por objetivo), é finalmente deixar a criança numa atividade sem proposta de evolução e isso pode ser uma perda de tempo.

Venha deixar seu comentário se quiser acrescentar algumas dicas!

Deixe o seu comentário abaixo !