Aprendizagem do tênis: como se tornar um aluno nota 10?

A evolução da aprendizagem do tênis é uma via de mão dupla, onde professor e aluno possuem responsabilidades e critérios que necessitam ser estipulados e desenvolvidos continuamente. Se o professor é o estopim que vai desencadear a aprendizagem espalhando as sementes (proporcionando os estímulos de desenvolvimento) o aluno pode e deve ser o catalizador do desempenho adotando rotinas, adquirindo disciplina e, sobretudo mantendo-se aberto para os desafios que o tênis proporciona.

1 – Chegar ao local do treinamento com antecedência.

Desenvolver sua aprendizagem

Desenvolver sua aprendizagem

É muito comum observar o não cumprimento dessa norma no cenário das aulas de tênis, programe-se para não perder o tempo de treinamento, pois desperdiçar tempo é igual a perder conteúdos e volume de treino, logo é esperada uma evolução pobre e inconsistente.

 

2 – Material Organizado.

Não deixe para trocar o grip, verificar se você tem água, passou protetor solar ou trouxe o boné no momento em que a aula inicia, ter o material organizado e disponível é parte do comprometimento do aluno com o aprendizado, faz poupar tempo que vai refletir na aprendizagem.

 

3 – Realizar a rotina básica de preparação (sem precisar mandar fazer).

Basicamente existem 2 tipos de alunos, os reativos e os pró-ativos. Os alunos reativos sempre esperam uma solicitação e caso esta não venha eles não desempenham tarefa alguma. Os alunos proativos uma vez sabendo de qual norma se trata, cumprem metodicamente, fato este observado na rotina do aquecimento, onde o aluno proativo chega com antecedência e coloca-se prontamente a realizar os exercícios de preparatórios (aquecimento) sem que ninguém o esteja observando ou o mande realiza-los (sem dúvida essa postura trará um impacto significativo para sua evolução). Pois o fará a estar em estado de prontidão bem antes do que o aluno reativo que apenas espera os comandos como se fosse um marionete, lembre-se você tem responsabilidade sobre a sua evolução.

 

4 – Ser Curioso, ter uma mente permeável.

Muitas pessoas fazem aulas de tênis, mas nem todas estão se desenvolvendo tanto o quanto poderiam! E Por quê? Acredito que um dos fatores sejam as crenças limitadoras, e a falta de ambição para dominar outros setores de jogo, novos golpes, maior controle emocional, mais versatilidade tática e física enfim, acreditar que o copo já esta cheio e contentar-se com o que já sabem ou com o circulo de pessoas com que sempre jogam. Desafie-se, busque sempre a mente limpa do principiante que é curiosa e absorve tudo com alegria, aprenda mais, domine mais!

 

5 – Treinar!  Seja com quem for.

Sempre costumo dizer para os meus alunos que todo treino é bom independente de quem seja o seu parceiro, se o adversário possui um nível superior, tire proveito da situação (movimente-se mais, esteja mais concentrado, busque devolver todas as bolas). Caso o parceiro de treino é mais fraco (corrija as bolas mal batidas dele, aprenda a modular a intensidade da sua bola para proporcionar controle para ambos, no momento do jogo tente realizar jogadas mais arriscadas) e acima de tudo seja cordial e respeitoso! Pois você vai estar constantemente em um desses espectros.

 

6 – Acompanhar o que acontece no mundo do tênis.

Normalmente quando gostamos de algo, buscamos saber mais a respeito da natureza dessa atividade. Exemplo: crianças e adultos que não sabem dizer quem são os melhores jogadores (as) do mundo, quais e onde são disputados os Grand-slams, qual o torneio esta acontecendo no momento, quem é o seu ídolo no tênis? Estão fora do ambiente do tênis, não possuem uma cultura geral da modalidade e, portanto não possuem parâmetros de desempenho ou evolução.

 

7 – Saber acompanhar uma explicação sem interromper.

A comunicação envolve reciprocidade, expressar e também ser receptivo para que exista compreensão e logo evolução no processo de aprendizagem. Porém existem alunos que não fecham a matraca durante a aula!  Além de ser desrespeitoso com o mestre é prejudicial para quem de fato deseja aprender, lembre-se aprender algo não é uma terapia e o professor não é um assistente social. Expor dúvidas, pedir opinião, esclarecer pontos de vista sem dúvida é extremamente benéfico e necessário, mais uma vez definidos os critérios, faça!

 

8 – Solicitar feedback sobre o rendimento.

É muito importante e demonstra preocupação em evoluir o aluno que requisita informações sobre sua performance (aonde posso evoluir? quais são os pontos falhos do meu jogo, qual a prioridade para evolução de um setor de jogo?) essa postura é a de um aprendiz ávido que busca a progressão!

 

9 – Jogar entre os treinos.

Se você treinou, teste jogue. Encare o desafio no cenário real, assim você vai também poder informar o professor sobre as dificuldades enfrentadas e fazer uma avaliação do que esta funcionando.

 

10 – Ter a alegria de estar na quadra.

Seja brincando de pega-pega, queimada ou bolinha de gude o ser humano possuí a necessidade de jogar, pois jogando exercemos por completo nossa criatividade, astúcia, pericia exprimimos nossos receios liberamos a agressividade, enfim aprendemos sobre nós mesmos. Assim como o processo de evolução que é apaixonante para quem experimenta, tornar-se mais competente em alguma área é uma gasolina (motivação) para seguir evoluindo ainda mais. O tênis é um jogo, porém institucionalizado, que remete todas as emoções e sensações descritas acima e quando digo que uma pessoa que aprende o tênis em um ambiente positivo torna-se um sujeito mais plástico, flexível e autônomo esta embutida aí uma realidade.

 

Espalhem a palavra..

Jogar bem tênis é investimento para o desenvolvimento pessoal”

 

Deixe o seu comentário abaixo !